• Dr. Eric Carvalho

Alimentação e enxaqueca

Existem alimentos que provocam crises e deveriam ser evitados? Se alimentos podem provocar, também não haveria um grupo de ajudasse a prevenir?

A relação entre a alimentação e a enxaqueca ainda é motivo de debate.


Do ponto de vista científico, no entanto, não há consenso sobre a identificação de gatilhos alimentares na cefaleia. Queijo, chocolate, frutas cítricas, álcool, café, molhos de tomate, carboidratos, produtos fermentados e vinho tinto estão entre os alimentos propostos que podem desencadear crises de enxaqueca.


Na prática, o papel de cada alimento no desencadeamento das crises é um tanto individual. Por exemplo, o chocolate não causa dor de cabeça em boa parte dos pacientes, entretanto, para outros, consumir um pequeno pedaço pode ser o mesmo que pedir para ter uma crise. Resumindo, cada indivíduo com cefaleia pode ter um gatilho específico ou um conjunto único de gatilhos.


Como fazer então?


Minha sugestão é: observe a lista com os potenciais gatilhos (prefiro chamar de potenciais, pois, como já adiantei acima, não serão gatilhos para todo mundo). Primeiramente, analise se vem ingerindo algum desses alimentos ou bebidas com frequência. Então, exclua quais com certeza nunca te levaram a dores de cabeça. Quem sabe você esteja livre para comer uma barra de chocolate sem culpa, basta que tenha certeza de que não há relação entre o consumo do mesmo e suas crises.

Finalmente, tente lembrar do que comeu ou bebeu nos dois dias anteriores a sua crise. Um estudo mostrou que as crises se iniciam até 48 horas antes de você efetivamente sentir a dor de cabeça. Portanto, um sábado à noite farto em queijos defumados e vinhos importados pode levar a uma segunda-feira com enxaqueca, mesmo que tenha maneirado na alimentação no domingo.


Abaixo você pode baixar uma lista com os principais gatilhos, que entrego durante as consultas.

Alimentos e Enxaqueca
.pdf
Download PDF • 445KB

Abaixo, segue trecho de artigo publicado no site do HCor por orientação de nutricionista da instituição.


Alimentos que podem desencadear as crises de enxaqueca:


Adoçantes artificiais e produtos diet e light (aspartame e sucralose);

Carnes curadas, defumadas, embutidos, salsicha e linguiça, contêm nitratos e nitritos, substâncias que aumentam a dilatação dos vasos sanguíneos;

Refrigerantes a base de cola, guaraná, café e o chá mate devem ser evitados, pois possui cafeína, substância estimulante que pode alterar a circulação sanguínea;

Bebidas alcoólicas como: vinho tinto, espumantes e destilados em geral possuem fenóis, aldeídos e sulfetos. Essas substâncias podem provocar vasoconstrição dos vasos sanguíneos;

Chocolates, queijos duros e frutas cítricas contêm tiramina, substância que libera a prostaglandina, hormônio responsável pela sensação de dor;

Aditivos alimentares, como o glutamato de monossódico presente em temperos e alimentos industrializados e embutidos.


Alimentos que auxiliam no controle da crise de enxaqueca:


Semente de linhaça, atum, sardinha, salmão ou cavala, pois são ricos em ômega 3;

Castanhas, amêndoas e amendoim: ricos em selênio, que diminui o estresse;

O triptofano ajuda a liberar serotonina, que proporciona sensação de bem-estar. Alimentos como a banana, erva-cidreira, maracujá, pão, arroz, feijão e granola contêm essa substância;

Os anti-histamínicos inibem a produção de prostaglandina, responsável pela sensação de dor. São encontrados no orégano, cravo, canela e gengibre;

Alguns estudos demonstram que a deficiência de magnésio pode representar um importante papel no desenvolvimento da enxaqueca no período menstrual. Encontrado em amêndoas, avelã, castanha-do-pará, amendoim, alcachofra e espinafre.

O consumo de alimentos ricos em vitaminas do complexo B, como feijão, lentilha e grão de bico, também ajuda a prevenir a enxaqueca.


35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo